EuLutoContraADepressao


Eutimia

Recorrer a tratamento é útil para a maioria das pessoas com depressão, pois é provável que sem tratamento a depressão se agrave.

Existem tratamentos eficazes disponíveis para as pessoas que sofrem de depressão, e podem-se aprender estratégias eficazes para lidar e viver com a doença, e recuperar uma vida normal.

Atenção: também existem pseudo-tratamentos anunciados como ‘naturais’ ou ‘alternativos’ que parecem funcionar, mas não são eficazes apesar de serem eficazes em criar essa ilusão.

O que define a qualidade de um tratamento como eficaz é um estudo realizado de forma muito exigente seguindo os critérios-padrão aplicáveis a todos os estudos: é a linguagem científica universal.

Existem muitos profissionais de saúde e serviços acreditados que disponibilizam informação, apoio e tratamento especializado adequado.

Até 70-90% das pessoas que recebem tratamento para a depressão sentem-se melhor ao fim de apenas 4 a 8 semanas. Contudo, entre 50 a 70% das pessoas que sofrem de depressão não procuram nem recebem tratamento adequado, pelas mais diversas razões.

Muitos indivíduos não procuram ajuda simplesmente porque não se apercebem de que estão doentes e não reconhecem os sinais ou sintomas de que algo está errado.

No entanto, uma das razões mais importantes para as pessoas evitarem o tratamento é o estigma.

O estigma – o sentimento de que se é diferente e menos do que os outros por causa disso – tem impacto nas ideias e crenças das pessoas em relação à depressão: algumas pessoas acreditam que a depressão não é senão uma fraqueza pessoal ou mesmo uma falha de caráter. Este é um erro grave, e comum, pois tal como qualquer outra condição médica (como a diabetes, a artrite ou a hipertensão), a depressão clínica é uma doença que deve ser tratada por um médico ou profissional de saúde mental.

É importante conhecer os diversos tipos de tratamento eficazes disponíveis e saber como ter acesso a eles.

Os principais pilares do tratamento da depressão, os tratamentos específicos, são o tratamento somático, ou seja, a medicação e o tratamento psicológico, ou seja, a psicoterapia.

Mas atenção, nem todos os medicamentos e nem todos os tipos de psicoterapia são os adequados: devem ser prescritos por um médico que se sinta capacitado para o fazer, ou por um psiquiatra.

A medicação serve para modificar o funcionamento do cérebro e a psicoterapia para tirar melhor partido dos recursos do cérebro. A medicação funciona mais rápido. A psicoterapia funciona melhor no longo-prazo. Pode-se ter indicação para um dos tratamentos, mas muito frequentemente a combinação dos dois é a adequada.

Pode obter mais informações sobre tratamentos na secção sobre o Tratamento da Depressão na página Para Todos.