A depressão é uma doença que não afeta apenas a mente ou o cérebro, mas o corpo todo, e a forma como a pessoa come, dorme, se sente e pensa sobre as coisas.

Não é um “estado de espírito” transitório, não é normal, e não é nem um sinal de fraqueza pessoal nem uma condição da qual se possa sair sozinho(a). “Encher-se de coragem e ultrapassar a situação” está fora do alcance da pessoa afetada.

A depressão é muito mais do que angústia ou sofrimento normal: é uma doença que comporta sinais e sintomas que pode durar semanas, meses ou anos se não for diagnosticada e tratada adequadamente.

Sinais e sintomas mais comuns

Os sinais e sintomas de depressão mais comuns são:

  • um estado de humor persistentemente triste, ansioso ou vazio,
  • perda de interesse em atividades que antes eram desejadas e sentidas como agradáveis, incluindo as relações sexuais.
  • um estado de fadiga invulgar, baixo nível de energia, e sensação de lentificação,
  • a perda de apetite (associada à perda de peso) ou um apetite excessivo (associado ao aumento de peso);
  • perturbações do sono e insónias, acordar demasiado cedo de manhã ou dormir demais;
  • a perda da expressão emocional (embotamento afetivo);
  • sentimentos de desespero, pessimismo, culpa, inutilidade ou desesperança;
  • isolamento social;
  • dificuldade de concentração, de memorização ou na tomada de decisões;
  • inquietação ou irritabilidade excessivas;
  • problemas físicos persistentes tais como dor de cabeça e problemas digestivos crónicos;
  • dor que não responde a tratamento;
  • pensamentos relacionados com a morte, ideias de suicídio, tentativas de suicídio ou autoagressão.

A depressão é frequentemente acompanhada de ansiedade e está sempre associada a problemas significativos na família, com os amigos, no trabalho ou na escola, devido ao efeito que exerce sobre a pessoa afetada.

Alguns sintomas são específicos da idade, podendo ser mais comuns em crianças (problemas comportamentais), em jovens (agitação e irritabilidade) ou em pessoas idosas (retração, apatia e ideias fantasiosas).

Os sintomas psicológicos são comuns na depressão, mas esta é uma doença, ou seja, as funções cerebrais e o funcionamento do corpo estão afetados, pelo que os sintomas físicos são muito comuns.

Sintomas somáticos de depressão

Sintomas físicos típicos associados à depressão são:

  • Desconforto interior e tensão,
  • Redução do apetite e perda de peso,
  • Perda do interesse sexual,
  • Dor de cabeça,
  • Tonturas,
  • Dor de costas;
  • Problemas respiratórios,
  • Problemas cardíacos,
  • Problemas gastrointestinais,
  • Dor abdominal

Muitas vezes as pessoas apercebem-se destes sintomas físicos, mas estes não são imediatamente identificados como fazendo parte de um quadro de  depressão. Além disso, problemas já existentes – por exemplo, uma dor nas costas – podem fazer-se sentir mais intensamente durante uma fase depressiva.

A existência de sintomas físicos pronunciados dificulta, por vezes, o reconhecimento e o diagnóstico de uma depressão subjacente por parte do médico de clínica geral, ainda que, em dois terços dos casos, a principal queixa seja um sintoma físico. Pode ser útil obter uma segunda opinião. Fale sobre isso com o seu médico.

Os sintomas de ansiedade são também bastante comuns na depressão, podendo muitas vezes assumir uma natureza física, tal como falta de ar, sensação de aperto no peito, náuseas e tonturas.

Dê uma vista de olhos e faça o teste de despiste de depressão como se fosse o seu familiar ou o seu amigo(a) aqui.