Autoagressão refere-se a todos os comportamentos assumidos com o objetivo de fazer intencionalmente mal ao corpo da própria pessoa (como a automutilação ou a overdose de medicamentos ou drogas). Os jovens podem assumir comportamentos de autoagressão por diferentes motivos – por vezes, em resposta a sentimentos ou pensamentos difíceis ou dolorosos, outras vezes, porque querem que as suas vidas mudem de alguma forma.

Os motivos por detrás da autoagressão e a sua gravidade variam, mas é importante levar a sério todo o tipo de autoagressão, pois pode ter consequências graves no bem-estar e no futuro da pessoa. A autoagressão também costuma ser um sinal de que a pessoa está a tentar lidar com o stress e as dificuldades da vida.

A autoagressão pode provocar danos permanentes no corpo, e aumenta o risco de ocorrência de mais episódios de autoagressão e pode mesmo chegar ao suicídio.

Muitos jovens que se autoagridem não o contam a ninguém.

Podes sentir-se muito só, mas a verdade é que há ajuda disponível.

Se confias no teu pai ou mãe, num professor, assistente social ou outro adulto, podes falar com eles sobre o tema da autoagressão: isso pode ajudar-te. Falar cria a oportunidade de começares a perceber as razões por que poderás estar a agredir-te. Também te ajuda a lidar com as dificuldades que sentes. Por exemplo, alguns jovens recorrem à autoagressão depois de terem sido alvo de bullying, quando têm dificuldades em casa, devido a pressões académicas, ou por causa de outros problemas que podem ser resolvidos com a ajuda de outros.

A ajuda existe.

O teu médico de família pode ajudar-te diretamente ou encaminhar-te para um assistente social, psicólogo ou psiquiatra, com quem podes falar sobre os teus comportamentos de autoagressão e outros problemas relacionados. Partilhar as nossas experiências de autoagressão com um profissional ou com outra pessoa em quem confiamos é um passo importante para diminuir o risco de novas autoagressões.

Se por outro lado, alguém próximo de ti se autoagride, é importante falar abertamente com essa pessoa, mesmo que te pareça difícil perceber porque é que ela está a fazer mal a si própria de modo intencional.

Se essa pessoa te revelou que se autoagride, poderá estar aberta à ideia de pedir ajuda a outros também. É importante não prometeres que vais manter a autoagressão em segredo. Um segredo desses é um fardo muito pesado para se carregar. E não se espera que lides com o problema sozinho(a). Podes pedir ajuda. Alguns passos que podes dar para ajudar um amigo ou uma amiga:

  • Podes perguntar ao teu amigo/a se se sentiria confortável em discutir o assunto com um familiar, professor, médico ou assistente social.
  • Também pode ser útil ofereceres-te para acompanhar o teu amigo(a) quando ele(a) for falar com alguém em quem confia.
  • Se sentires que a pessoa tua amiga que se autoagride corre perigo imediato, podes ter de confidenciar a tua preocupação a um adulto de confiança, mesmo que o(a) jovem em causa se recuse a aceitar ajuda.